0
Assinaturas recebidas

TRANSFORMAR AS CIDADES PAULISTAS: UMA AGENDA SOCIAL E VERDE É URGENTE

Carta-aberta às Candidatas e Candidatos nas eleições de 2022, das Entidades Estaduais de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CEAU-CAU/SP)

As entidades que representam os profissionais de Arquitetura e Urbanismo do Estado de São Paulo elencam 5 diretrizes e 12 propostas prioritárias para compor os programas das candidaturas ao poder executivo e legislativo nas eleições de 2022.

São Paulo vive hoje um período crítico. As desigualdades socioterritoriais foram determinantes na propagação da pandemia da Covid-19. As mudanças climáticas apontam a emergência de ações para mitigar a crise ambiental. Ano após ano acentuam-se as injustiças sociais que marcam a construção de nossas cidades.

Em 2020, a população de São Paulo alcançou cerca de 45 milhões de pessoas, das quais 96% vivem nas zonas urbanas, ou seja, em apenas 4% do território do Estado. A rede urbana de São Paulo apresenta grande diversidade e demanda políticas específicas: menos de 20 municípios têm mais de 400 mil habitantes, enquanto a maioria, cerca de 400 municípios, têm menos de 20 mil habitantes.

CANDIDATOS E CANDIDATAS: SEJAM SIGNATÁRIOS

Convidamos candidatos e candidatas às próximas eleições a assinarem e se comprometerem com as diretrizes e propostas feitas por arquitetas e arquitetos de São Paulo. Convidamos também profissionais da arquitetura e urbanismo e toda a sociedade à leitura da Carta e divulgação. Contamos com a mobilização de todos.

DIRETRIZES

Diretrizes defendidas na Carta que contam com apoio de candidatos e candidatas.

SÃO PAULO EM NÚMEROS

Alguns dados alarmantes da atual situação urbana-ambiental do Estado de São Paulo:

TRANSFORMAR AS CIDADES PAULISTAS: UMA AGENDA SOCIAL E VERDE É URGENTE

Artigo do CEAU-CAU/SP publicado no jornal Folha de S.Paulo

As eleições que se aproximam são uma oportunidade para discutir publicamente e engajar candidatos em uma agenda de ações emergenciais e estruturais para trazer a qualidade de vida nas cidades a patamares compatíveis com a dignidade da vida humana.

Para se ter uma ideia, o Estado de São Paulo possui 335 mil moradias em condições precárias, com 1,6 milhão de habitantes sem acesso à água potável e 6,3 milhões sem tratamento de esgoto. A Macrometrópole Paulista, que abriga quase dois terços dos habitantes e concentra mais de 80% do PIB do Estado, apresenta os mais graves problemas.

NOSSA GALERIA

Confira as imagens do Ato Público realizado no dia 25 de maio, em São Paulo.

VÍDEOS

QUEM SOMOS

logos.png

TRANSFORMAR AS CIDADES PAULISTAS:

UMA AGENDA SOCIAL E VERDE É URGENTE